DISPUTA: BENES É PRODUTO DO GOLPE


O ex-prefeito de Lajes Benes Leocadio sempre teve o sonho de ser candidato a deputado federal.

 Na eleição de 2014, ainda no PMDB, articulou apoios e tentou viabilizar o projeto. No meio do caminho encontrou o deputado Henrique Alves, que seria candidato ao governo do Estado. 

A vaga naturalmente seria para Benes, aliado histórico e fiel.  Seria. Como é de costume na família Alves, eles só trocam apoios entre si, de síndico à governador os Alves já foram tudo nesse Estado. A família colocou Walter Alves na vaga de Henrique.

Após ser preterido para a disputa, Benes foi alçado ao cargo de coordenador da campanha de Henrique ao governo. Reconhecido como um municipalista, Benes tem uma ótima relação com os prefeitos.

Após deixar o cargo de Prefeito de Lajes em dezembro de 2016, foi costurado um acordo e Benes foi ser presidente da Federação dos Municípios do RN, a FEMURN.

Com as implicações judiciais do ex-deputado Henrique Alves, o ex-prefeito se aproximou do Presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira, virou  seu homem de confiança. E foi pelas mãos de Ezequiel que Benes se filiou ao PSDB.

Sabendo da força que tem o cargo de Presidente, assim como fez Robinson Faria e Ricardo Motta, Ezequiel resolveu lançar Benes como candidato a deputado federal.

Até aí tudo bem. O que surpreendeu a todos foi a atitude de retirar Benes do PSDB, que é presidido pelo seu padrinho, e colocá-lo no PTC. Sigla nanica, o PTC integra o grupo de pequenas legendas que disputarão em pé de igualdade.

Território Livre tomou conhecimento de que o PTC será excluído do grupo, tendo em vista a densidade eleitoral de Benes, sendo instrumento político do deputado Ezequiel.

É tido como certa a idéia de que se eleito, Benes migraria para o ninho Tucano.

Os cálculos estão sendo refeitos no grupo dos independentes.

Comentários